Há diversas maneiras de brindar a vida.

São muitas opções de bebidas espumantes, de Sidra a frisante. As diferenças são várias, mas num ponto todos especialistas concordas: elas são a opção mais bacana para celebrar os bons momentos de forma refrescante, leve e deliciosa.

Para entender melhor cada uma destas bebidas, vamos falar sobre o seu processo e suas particularidades. Mas lembre-se “Todo champagne é espumante, mas nem todo espumante é champagne.”

Como vocês vão conhecer, a diferença começa pela questão geográfica, mas passa por muitos outros aspectos: da qualidade da uva, do processo e da própria percepção da região.

Sidra

A sidra é uma bebida preparada com sumo fermentado de maçã ou de pera. Os seus maiores produtores são Inglaterra (mais de metade da produção europeia, em especial nas regiões do sudoeste e Ânglia Oriental), Irlanda e França (sobretudo na Normandia e Bretanha). O Brasil é um dos maiores produtores do mundo e aqui Cereser tem mais de 65% de participação de mercado.

Champagne

O champagne é um vinho branco espumante, produzido na região de Champagne, nordeste da França, através da fermentação da uva fermentação natural exclusivamente dos tipos Pinot Noir, Pinot Meunier e Chardonnay.

Um dos motivos que elevaram a fama deste vinho foi o fato de que em Reims, cidade mais importante de Champagne, foram coroados quase todos os grandes reis da França. A coroação acontecia na catedral de Notre-Dame, construída em 1225, e nas comemorações era servido champagne. Por isso, ficou conhecido como o vinho dos reis.

A palavra “champagne” apenas pode ser utilizada nos vinhos originais da região. Qualquer vinho semelhante, mesmo produzido pelo método champanhês em outros locais ou países só pode apelidar-se de “espumante” e nunca “champagne”.

Espumante

Também elaborado com uvas, o espumante tem como base um vinho já fermentado. A partir disso, ele passa por uma segunda fermentação natural, ou dentro de sua própria garrafa.

Nessa etapa, o resultado é a aparição natural de gás carbônico, que confere a gaseificação e espuma da bebida.

Cava

Na Espanha, o espumante é conhecido como Cava, tradicionalmente elaborada com as uvas Macabeo Xarel-lo e Parellada, com qualidade similar ao Champanhe.

Prosecco

Já na Itália o destaque fica por conta do Prosecco, confeccionado com a uva do mesmo nome. Diferentemente dos champagnes e dos cavas, os proseccos são elaborados pelo método charmat, onde a segunda fermentação ocorre em grandes tanques de aço inox e não na própria garrafa. Alguns espumantes brasileiros conseguiram manter o direito de usar o nome Prosecco em seus rótulos por já produzirem às bebidas há muito tempo.

Frisante

O vinho frisante também conta com gás carbônico em sua composição, porém, ele é adicionado artificialmente. O resultado é uma bebida sem espuma e menos gaseificada do que o espumante.